Semear intenções na Lua Nova

Cada Lua Nova pode ser usada como ponto de viragem. É propícia para começar do zero, o momento para conceber uma ideia que ganhará vida na Lua Cheia seguinte.  Movimentos seguidos por milhares de pessoas há milhares de anos, fluindo com a energia do universo do qual fazemos parte.

 newmoon

Os agricultores sabem isto, e planeiam colheitas e sementeiras de acordo com os ciclos da Lua. Ao longo do tempo, compreenderam que as sementes que melhor vingavam eram aquelas lançadas durante a Lua Nova.

A Lua Nova serve também para semear ideia e intenções. Estas ideias semeadas irão germinar com a Lua Cheia, tal como a semente aguarda na escuridão para irromper com a luz e dar frutos, também nós devemos permitir a gestação e criação de uma ideia que levará a resultados concretos.

 

Manifestação da Lua para dar luz aos seus desejos

É importante começar com um momento de tranquilidade, embora isto possa ser feito individualmente ou em grupo. Tenha presente que palavras e pensamentos são vibrações, pelo que quaisquer intenções afirmadas ou escritas têm poder, e deve ter o cuidado de manifestar exactamente aquilo que quer, sentindo essa vibração. Aqui faz muito sentido o ditado “cuidado com o que desejas, porque podes conseguir”.

Sugestões para criar o momento:

  1. Faça um limpeza energética do espaço com uma pequena oração, queimando salvia branca ou incenso;

  2. Acenda uma ou mais velas, coloque cristais ou objectos que considere sagrados e/ou que simbolizem os objectivos que gostaria de alcançar;

  3. Acalme-se e centre-se da forma que for mais apropriada para si. Faça inspirações profundas, use música relaxante, e pode até beber um pouco de chá de ervas;

  4. Num bloco de notas, coloque a data e começe a escrever os seus desejos. Esta lista pode ter apenas um item ou várias páginas com muitos desejos, não crie limites;

  5. Feche os olhos e tente imaginar como se sentiria ao alcançar os seus objectivos. Não se foque no “querer” mas sim sentir como se já estivesse nesses momentos e objetivos, imagine qual seria a sensação;

  6. Este bloco de notas pode ser usado como um diário de intenções ou manifestações, onde pode desenhar ou colocar imagens e recortes daquilo que quer materializar. Isto pode ser um projecto divertido, por isso divirta-se! Em breve ficará surpreendido pela forma como as coisas começam a acontecer na sua vida, assim que dê início a este processo.

Ao longo do mês seguinte pode fazer outras pequenas coisas que ajudam à concretização.
Pode folhear este pequeno caderno e repetir o processo de visualização do objectivo alcançado. E quando um dos itens da sua lista chegar até sí, pode riscá-lo!

Pode ser uma boa ajuda adicionar objectivos mais pequenos, coisas que poderão matrializar-se rapidamente. Pode pensar que estas pequenas coisas são triviais mas os desejos que se materializam com menos esforço promovem os desejos maiores. Criam movimento, como uma bola de neve, lançando boas vibrações que se irão manifestar na sua vida pouco a pouco, dando-lhe esperança e fé para se focar nos objectivos maiores e mantê-los alcançáveis na sua mente. Então será melhor começar com coisas simples e os resto virá pela atracção dessa vibração.

Resumo e tradução livre do artigo escrito por  Jocelyn Daher.
Artigo completo aqui

WS Covilhã

Uma perspectiva para além da vida

Ou 9 coisas que se aprendem depois da morte

405157074204

Annie Kagan – OmTimes | 

A autora deste artigo relata uma experiência pessoal, três semanas depois do falecimento do seu irmão Billy… Uma conversa sobre o que acontece depois de morrer.
Entre outras coisas, Billy explicou que o nascimento traz uma espécie de amnésia. Uma das coisas que tentamos fazer nesta vida é lembrar aquilo que esquecemos. Mas depois de morrer, há uma percepção diferente de um conjunto de coisas que nem imaginávamos em vida:

1. A vida na Terra não é um castigo pelas transgressões de vidas passadas.
A vida não é algo tipo “fizeste algo errado noutra vida e agora estás a pagar por isso”. Não é assim que funciona. O conceito de olho por olho e dente por dente para equilibrar a balança não é real.

2. Escolhes as circunstâncias da tua vida antes de nascer, por razões que a alma conhece e que são praicamente impossíveis de entender enquanto estiveres na Terra.
Se entendesses essas razões, a vida iria perder algum sentido e é isso que se procura com o caminho para a iluminação.

3. Tudo muda.
Quando morres, é que te apercebes. Também te apercebes que há coisas imortais, coisas que levas contigo e isso também muda. O conceito de Maia, ou o véu da ilusão, significa o quê? Significa temporário.

4. A vida é fantástica, mesmo as partes mais dificeis. 
E todos nós fazemos coisas a que chamamos erros. Mas não faz mal cometer esses tais erros. Fazem parte do acordo terreno.

5. É suposto envolveres-te em vários tipos de coisas na terra, coisas que podem não fazer sentido do ponto de vista humano.   Então, espera um pouco antes de julgares o teu semelhante. Ser totalmente isento de julgamento em vida é algo muito avançado, no entanto. Terias que ser um Buda para ser assim tão avançado.

6. Não há apenas um caminho certo.
Alguns desfechos são felizes, outros nem tanto, mas não é a percentagem de finais felizes que interessa. É a banda sonora.

7. A sociedade ensina limitação.
Não interessa o que te ensinaram, tudo o que precisas de saber já está dentro de ti. E aquilo que realmente és está muito para além da tua compreensão. É por isso que viver limitado dentro da experiência humana pode por vezes ser penoso.

8. No centro de tudo está uma energia, uma matéria imaterial chamada AMOR. 
Uau, e sabe mesmo bem, este AMOR.  Nem podes imaginar. Não podes mesmo. Não é possível experienciares a totalidade do poder do AMOR neste plano de existência.

9. A Morte não é uma coisa tão séria como parece.
É até bastante agradável. Na verdade, não podia ser melhor. E dizer adeus às pessoas que amamos não é tão sério como parece, porque vamos encontrá-los de novo.

Ler o artigo original:
http://www.the-open-mind.com/9-things-you-realize-after-you-die/

Solstício de Verão

20140621-093751-34671350.jpg

O verão está sob a influência do arcanjo Uriel, cujo nome
significa “Deus é a minha luz”. Durante o verão, toda a
natureza está em fogo, e no dia 24 de junho, festa de São João
Batista, após o solstício de verão, é tradição acender
fogos e celebrar com cantos e danças a vitória do calor e da
luz. Uriel não é mencionado na tradição cristã e a Igreja
não encorajou esta maneira de celebrar o São João, pois essas
reuniões de homens e mulheres que cantam, dançam e bebem à
roda de um fogo durante toda a noite acabam muitas vezes em
excessos.
O solstício de verão, que se situa no momento em que o sol
entra na constelação do Caranguejo, onde Vénus está em
exaltação, não é, efetivamente, a festa do fogo espiritual,
mas do fogo físico, terrestre. Uriel é o arcanjo de Malhouth, a
esfera da terra: o fogo sobre o qual ele reina não é só aquele
que faz amadurecer os cereais e os frutos, é também o fogo
interior do planeta que mantém toda uma matéria em fusão, na
qual se elaboram os metais, os minerais, e que foi mesmo
assimilada ao inferno.
Em certas tradições, o verão é simbolizado por um dragão que
cospe chamas. O dragão é precisamente esse animal mítico que,
vivendo debaixo da terra, só sai à superfície para queimar,
devorar e destruir. Mas ele é também o guardião de todos os
tesouros ocultos, as pedras e os metais preciosos, frutos da
terra. Há também muitas tradições que celebram o herói que
foi capaz de deitar por terra o dragão para se apoderar dos seus
tesouros. São relatos nos quais o discípulo deve meditar: não
é pelo facto de o verão libertar as forças subterrâneas que
devemos deixar-nos devorar pelo dragão.”

Omraam Mikhail Aivanhov
- livros do Mestre Omraam à venda na Loja Zen

20140621-094142-34902286.jpg

fs_ZEN_cartaz

Lua Cheia de Touro – Wesak 2014

Este ano será a 14 de maio de 2014 às 20h15, [TMG] é realizada a celebração máxima do Budismo, o Festival [ou feriado] de Wesak, no vale dos Himalaias, na Índia.

buddha_moon

Wesak ou Vesak, também conhecido como Buda Purnima, é um feriado tradicionalmente observado pelos budistas em diferentes dias e em diferentes regiões do globo, como por exemplo, no Nepal, Sri Lanka, Tibete, Bangladesh, Butão, Índia, Singapura, Vietname, Tailândia, Camboja, Laos, Malásia, Mianmar e Indonésia. É uma multidão de milhões e milhões de pessoas, praticantes do budismo. Às vezes, informalmente chamado de “Aniversário de Buda”, na verdade esta data comemora o nascimento, a iluminação (Nirvana), e morte (Paranirvana) de Gautama Buda no Theravada ou tradição do sul. Tal como acontece numa boa parte do globo, os calendários usados não são o gregoriano, como acontece no ocidente, mas sim o ‘lunar’, daí o dizermos com precisão que é na Lua Cheia de Touro que ocorre este Festival. Como no oriente existem diversos calendários [o Hindú, o Budista, o Lunar, o Chinês, etc.], assim como as várias ramificações budistas, quero deixar muito claro que é um feriado [Festival] comemorado em diferentes dias do ano, mas a maioria segue a tradição do calendário lunar que nos informa que ocorre na Lua Cheia de Touro.

Em “astrologuês”, estamos a comentar a oposição entre o Sol e Lua, ambos no grau 23º55′, estando o Sol em Touro e a Lua em Escorpião.
E quando abordamos o eixo Touro / Escorpião [subjetivamente as casas II e VIII], estamos claramente a falar do eixo da posse, dos apegos, dos bens, dos dinheiros [também dos outros], mas sobretudo na enorme dificuldade que poderá representar a nossa ‘escolha’ em não aceitarmos as coisas como são; representar a nossa ‘escolha’ de aprendermos o desapego e o soltar; e representar a nossa ‘escolha’ de deixarmos as coisas irem.

No que à astrologia diz respeito, esta Lua Cheia fará uma conjunção no céu com Saturno. Sugere a possibilidade de haver algum drama envolvendo a sua casa, pais, filhos, chefes, colegas ou o seu parceiro [no masculino] e poderá ser muito difícil viver as suas emoções, levando a que surjam sentimentos de rejeição e depressão.

Homens e especialmente pais, género masculino representado por Saturno, será a fonte de dificuldades enfrentadas pelo público e as mulheres poderão ser as mais lesadas, pois são regidas pela Lua. Teremos que estar atentos ao mundo, pois algum tipo de violência pode acontecer.

Pessoalmente estou muito expectante em relação à Europa, Rússia e Ucrânia? Ou será o caso das ‘meninas da Nigéria’? As possibilidades são múltiplas. Apenas, aguardemos e enviemos Luz para essas partes do globo. Estejamos atentos aos acontecimentos desta semana.

Entretanto, deixemos milhões de ocidentais a praticarem aquilo em que acreditam: a fazerem funcionar o Festival de Vesak.

António Rosa, astrólogo
Ler o artigo completo aqui:
http://cova-do-urso.blogspot.pt/2014/05/lua-cheia-de-touro-ou-como-e-conhecido.html

 

 

Meditação Wesak no Estrela Zen
14 maio, quarta feira, 21h – Entrada livre

 

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.