Lua Cheia e eclipse lunar, trígono de fogo no céu 

IMG_1639

A energia à nossa volta está a mudar, o planeta está a elevar a sua vibração, os desafios são constantes. A maioria de nós sente o desafio de conseguir estar presente no momento e manter-se em equilíbrio perante a consciência cada vez mais evidente de que vivemos a ilusão de separação, caminhando da direcção da união com a Fonte.

À medida que aumenta a nossa ligação com a Terra e com a frequência em que ela agora vibra, temos mais trabalho pessoal para enfrentar a nossa sombra e os desafios surgem a cada momento. É importante deixar fluir, permitir que as situações se desenrolem tal como são, sem manipular.

O céu manifesta neste momento uma poderosa energia de fogo, com Urano e o Sol em Carneiro, trígono a Júpiter em Leão, trígono a Saturno em Sagitário. Fogo que representa sempre purificação e renascimento. E curiosamente o mundo cristão celebra a Páscoa este fim de semana. A conjunção destes três grandes planetas no céu é um dos alinhamentos mais intensos dos últimos tempos, com uma forte energia yang que nos faz sentir a vida a pulsar dentro de nós!

UAo mesmo tempo, com mais um eclipse lunar da Lua Cheia, dia 4, toda esta energia é amplificada, dando continuidade à energia do Eclipse Solar em Peixes e Lua Nova no Equinócio, a 20 de março. A mensagem desta Lua Cheia em Balança: equilíbrio, harmonia, justiça, partilha, inclusão e aceitação.

A transição energética que se desenrola desde o início de 2015 intensifica dentro de nós a necessidade de nos libertarmos de um sistema de crenças que já não está em sintonia com a nossa crescente consciência de união. É um trânsito extremamente poderoso.  O eclipse lunar vai enraizar em nós estas energias e pede para nós alinharmos com estas novas energias. Devemos honrar a nossa essência e olhar para além da distorção da memória colectiva, que ainda guardamos. Estamos aqui para abraçar essa mudança. Libertar o que não nos serve e mudar a nossa vontade, centrá-la no coração, e ser realmente a mudança que queremos ver no mundo. 

À medida que passar o eclipse lunar, ficarmos com os efeitos deste padrão energético. A mensagem destes tempos é clara: abraçar e desenvolver a aceitação pela individualidade e pela jornada espiritual de cada um. Limpar velhos padrões que ainda gravitam à nossa volta que não servem os propósitos evolutivos da humanidade. Manifestar consciência de união e atravessar o portal para o desconhecido.

É tempo de largar o sofrimento e o apego emocional, padrões de pensamento baseados no medo, que não são mais do que formas arcaicas de estar que já não nos servem. É tempo de agir dentro do padrão vibracional do coração, abraçar o Amor universal, abrir as portas para uma nova consciência de nós mesmos.

Prontos para o desafio?

Texto inspirado por Simon Vorster – Rising Vibrations

Clique aqui para ler o original

Eclipse Solar – Lua Nova + Equinócio de Primavera

Os eclipses têm um significado forte na Astrologia, geralmente indicando processos de transformação. E por falar em transformação… Entramos no Equinócio da Primavera.

mimimama

Um eclipse marca o fim de um conjunto de circunstâncias e o princípio de outro.  É tempo de nos libertarmos de tudo que nos torna a vida mais pesada, sejam coisas, pessoas ou sentimentos.
Tanto o Eclipse Solar quanto a Lua Nova nos remetem ao passado. Somos colocados diante das escolhas feitas no passado, permitindo que possamos rever e examinar as consequências dessas escolhas.
É um bom momento para corrigir erros e resolver assuntos pendentes, largar ressentimentos e mágoas, largar os apegos do ego que nos impedem de avançar e tudo aquilo que nos faz sofrer.

Então, devemos analisar: que aspectos da nossa vida precisam dessa transformação? Estamos dispostos a libertar-nos do passado e iniciar um novo ciclo?
Sendo o Sol a luz da consciência, os eclipses podem prejudicar a clareza de pensamento e a capacidade de julgamento, por isso calma com a tomada de decisões por estes dias.

O momento do eclipse será o último suspiro da energia de Peixes, aquela que se relaciona com a ilusão, o sofrimento, o sacrifício e a submissão, para então entrar um novo ano zodiacal, com o Sol a iniciar a sua caminhada na energia de Carneiro, signo regido por Marte, Deus da Guerra, da acção e da força de vontade.A conjuntura do céu indica mudança, ímpeto, tensão e muita acção.

Como se não bastasse, entramos no Equinócio de Primavera, energia de renascimento. Tempo para fazer uma pausa, sintonizando-nos com os ciclos cósmicos, fazendo escolhas de libertação.

Vamos lá!

 

Como posso elevar a minha vibração?

Tanto se fala em energia subtil, em vibração…
Cá está uma simples e excelente explicação, em dois minutinhos que valem bem a pena!
Vamos lá elevar a nossa vibração! :)

Responsabilidades?

Pequena reflexão sobre uma forma de liberdade que pode ser apenas uma ilusão…
3546487

“Alguém diz: «Responsabilidades, eu? Nem pensar! Eu não me casarei, não terei filhos, recuso-me a ter prisões, quero ser livre!» Que ilusão! Interiormente, essa pessoa estará ainda mais limitada do que as outras que aceitaram responsabilidades, constrangimentos, pois esta vontade de ser livre não lhe foi inspirada por um ideal nobre e desinteressado.

Uma pessoa só se liberta assumindo os seus compromissos, e não descartando-se de todos os deveres para com a sua família e a sociedade.
Quem procura a liberdade recusando ou, pior ainda, abandonando as suas responsabilidades para viver uma vida fácil, de egoísmo e prazeres, encontra fatalmente, mais cedo ou mais tarde, novos entraves, novas sujeições, para o fazer compreender que está enganado.
Enquanto a pessoa não tiver resolvido o problema graças ao qual deve fazer uma determinada aprendizagem, não encontrará saída por nenhuma via. Para onde quer que vá, irá enfrentar uma situação ainda mais penosa.
É como se as leis que regem o destino lhe dissessem: «Não quiseste aprender nada além? Pois bem, tens uma outra coisa para aprender aqui!»

Não se deve fugir das dificuldades, mas sim procurar compreender bem o que elas significam e fazer o que é necessário para as ultrapassar. Nada tem mais valor do que a liberdade, mas desde que ela seja procurada segundo as regras divinas.”

Mestre Omraam Mikhail Aivanhov

Lua Cheia de Virgem

Consciência e Unidade. Agora é o momento.

704774_654972391195404_1464573329_o

Com a entrada do sol em Peixes, entramos na fase final de um ano astrológico. A Lua Cheia em Virgem, este mês, acciona a consciência final de que precisamos para integrar a energia que aí vem, no caminho da nossa evolução colectiva. Como consciência colectiva, o momento que esperávamos chegou finalmente.

Entramos num período incrível, pleno de conectividade e união com a Fonte.
A vibração de unidade que nos é devolvida pelo sistema planetário está no seu máximo. Já não precisamos de nos adaptar a uma vida  que não reflecte a nossa verdadeira natureza mas antes, é momento de adaptarmos a nossa vida de forma a reflectir a nossa verdadeira essência.
É tempo de mudança, bem vindos à Quinta Dimensão…

O trabalho de transformação está feito, já somos a mudança. É tempo agora de deixar brilhar esta nova energia, com coragem e determinação. É tempo de seguir os nossos sonhos e aspirações mais elevados, já que são uma dádiva para nós, por alguma razão, e por isso mesmo teremos todo o apoio para os alcançar. Basta seguir a nossa própria vibração de felicidade e ver com que rapidez tudo se manifesta.

Ainda que seja a mais pequena das luas cheias deste ano, a poderosa energia desta Lua Cheia em Virgem, em plena mudança de estação, pede-nos para olhar para dentro, preparando-nos toda a acção que se aproxima com uma conjuntura astrológica bem enérgica.
Verdade, acção, coragem e determinação, são palavras chave, saber olhar para tudo o que já alcançámos e seguir em frente.

Que assim seja!

Ver o relatório astrológico completo por Simon Vorster, aqui

Dias Pranicos – 28/02 e 01/03

“Um coração que ama é um coração que cura. É o amor que cura”
– Mestre Choa Kok Sui

Juntamo-nos à comunidade pranica mundial para divulgar esta terapia com acções solidárias. Faça parte desta ideia!

Dois dias para conhecer melhor os ensinamentos compilados pelo Mestre Choa Kok Sui, com formação e clínicas solidárias, cujos donativos reverterão a favor de uma instituição que trabalha com crianças.

A instrutora Rita Bandeira de Melo estará connosco para dar o Curso Básico de Terapia Pranica e trocar ideias com todos os que queiram aderir a este evento.
As Clínicas Pranicas Solidárias são asseguradas por praticantes de Terapia Pranica que farão sessões individuais (por marcação) a todos quantos quiserem experimentar e conhecer melhor esta prática.
É também uma boa oportunidade para aqueles que de momento não têm possibilidades de pagar uma terapia, por isso ajude-nos a divulgar!

Nestes dois dias haverá sessões de Meditação, de entrada livre, também por donativo.
Saiba mais sobre Terapia Prânica

Os valores angariados irão reverter a favor do Centro Social Jesus Maria José, no Dominguiso.
Inscreva-se a participe!
Estrela Zen – 275 315 307 / 969 289 263
geral@estrelazen.com

Diz-me o que atrais, dir-te-ei quem és

Para reflectir sobre aqueles episódios da nossa vida que nem sempre entendemos…

580429_370218059744480_203190085_n

“Ainda continuo a sentir as pessoas a falar dos seus dramas como se de castigos divinos se tratassem e como se fossem decretos finais do velho e ameaçador Deus religioso.

Vai levar o seu tempo até despersonalizarmos a noção do divino que ainda temos e mudá-la para o simples conceito de que tudo é simples energia em constante mudança de frequência e vibração.

A Vida deu-nos a liberdade de fazermos uso da nossa energia pessoal e de experienciá-la das mais variadas maneiras.
Desde as frequências mais baixas às mais elevadas.

Não existe castigo nem punição.
Apenas energias atraindo energias com vibrações idênticas.

Tal como apenas duas pilhas de frequência igual funcionam na mesma máquina, também a nossa energia atrai frequências idênticas para se conhecer.

Por ex. Uma das intenções que fizemos na Fonte foi escolher vir aprender/sentir/experienciar a tristeza. (pode ser medo, injustiça, insegurança, coragem, etc.).
Aquela frequência energética irá fazer atrair pessoas e experiências que reforcem a tristeza até que a reconheçamos, aceitemos, experienciemos e processemos emocionalmente. Só depois de feito este processo poderemos então e quando assim entendermos, escolher conscientemente sair dessa vibração, ajustar a nossa escala e escolher uma experiência nova.

A dinâmica energética acontece, seja ela consciente ou inconsciente.

Não é um castigo nem um azar que esse tipo de situações se repitam nas nossas vidas, como a nossa mente tantas vezes nos sugere.
É apenas a energia a seguir as suas regras de atracção.
Imaginemos uma escala emocional de 0-10.

‘0’ corresponde à indiferença, raiva, pânico.

‘3’ corresponde à tristeza, medo, insegurança.

‘5’ corresponde a alegria, esperança, optimismo

‘7’ corresponde à coragem, força, segurança

’10’ corresponde ao amor, fé, valorização pessoal

Todos gostamos de pensar que estamos no 10, certo?
A tua consciência te dirá em que número estás…

No entanto nós não atraímos o que queremos, o que gostávamos, o que acreditamos ou sequer o que pensamos.
Atraímos o que quer que esteja na mesma frequência emocional da nossa energia.
E pelo que tenho observado quando questiono às pessoas “Em que estado de 0-10 está a tua valorização pessoal e amor próprio”?, os números são honesta mas ridiculamente baixos.

Aliás hoje, mais do que nunca, a verdade virá facilmente ao de cima e por isso basta-nos olhar para a qualidade dos desafios e das pessoas que cada um anda a atrair para termos uma ideia sobre a frequência energética e emocional em que cada um está.

Infelizmente a educação que nos deram ficou-se pela triste e deprimente ausência total de consciência deste processo, pela desresponsabilização de que a nossa energia co-cria a nossa realidade e como tal podemos alterá-la e pelo simples julgamento negativo do outro sem percebermos que o outro está na nossa realidade pois encontra-se na nossa vibração.

Esta falta de “noção do eu” e do processo de “atracção”, do que somos (energia), do poder que temos (de co-criar e mudar a realidade), tornou-nos presas fáceis do manipulador ego que resiste a todo e qualquer processo de consciência.

Seja do reconhecimento das nossas sombras ou vibrações mais baixas.
Seja do reconhecimento da nossa luz ou das vibrações mais altas.

Por isso nos tornamos agressivos quando nos apontam uma sombra.
e resistimos envergonhadamente quando nos mostram a nossa luz.

O grande processo de auto-conhecimento começa então com a simples pergunta:
Ainda continuo a sentir as pessoas a falar dos seus dramas como se de castigos divinos se tratassem e como se fossem decretos finais do velho e ameaçador Deus religioso.

Vai levar o seu tempo até despersonalizarmos a noção do divino que ainda temos e mudá-la para o simples conceito de que tudo é simples energia em constante mudança de frequência e vibração.

A Vida deu-nos a liberdade de fazermos uso da nossa energia pessoal e de experienciá-la das mais variadas maneiras.
Desde as frequências mais baixas às mais elevadas.

Não existe castigo nem punição.
Apenas energias atraindo energias com vibrações idênticas.

Tal como apenas duas pilhas de frequência igual funcionam na mesma máquina, também a nossa energia atrai frequências idênticas para se conhecer.

Por ex. Uma das intenções que fizemos na Fonte foi escolher vir aprender/sentir/experienciar a tristeza. (pode ser medo, injustiça, insegurança, coragem, etc.).
Aquela frequência energética irá fazer atrair pessoas e experiências que reforcem a tristeza até que a reconheçamos, aceitemos, experienciemos e processemos emocionalmente. Só depois de feito este processo poderemos então e quando assim entendermos, escolher conscientemente sair dessa vibração, ajustar a nossa escala e escolher uma experiência nova.

A dinâmica energética acontece, seja ela consciente ou inconsciente.

Não é um castigo nem um azar que esse tipo de situações se repitam nas nossas vidas, como a nossa mente tantas vezes nos sugere.
É apenas a energia a seguir as suas regras de atracção.

Imaginemos uma escala emocional de 0-10.

‘0’ corresponde à indiferença, raiva, pânico.

‘3’ corresponde à tristeza, medo, insegurança.

‘5’ corresponde a alegria, esperança, optimismo

‘7’ corresponde à coragem, força, segurança

’10’ corresponde ao amor, fé, valorização pessoal

Todos gostamos de pensar que estamos no 10, certo?
A tua consciência te dirá em que número estás…

No entanto nós não atraímos o que queremos, o que gostávamos, o que acreditamos ou sequer o que pensamos.
Atraímos o que quer que esteja na mesma frequência emocional da nossa energia.
E pelo que tenho observado quando questiono às pessoas “Em que estado de 0-10 está a tua valorização pessoal e amor próprio”?, os números são honesta mas ridiculamente baixos.

Aliás hoje, mais do que nunca, a verdade virá facilmente ao de cima e por isso basta-nos olhar para a qualidade dos desafios e das pessoas que cada um anda a atrair para termos uma ideia sobre a frequência energética e emocional em que cada um está.

Infelizmente a educação que nos deram ficou-se pela triste e deprimente ausência total de consciência deste processo, pela desresponsabilização de que a nossa energia co-cria a nossa realidade e como tal podemos alterá-la e pelo simples julgamento negativo do outro sem percebermos que o outro está na nossa realidade pois encontra-se na nossa vibração.

Esta falta de “noção do eu” e do processo de “atracção”, do que somos (energia), do poder que temos (de co-criar e mudar a realidade), tornou-nos presas fáceis do manipulador ego que resiste a todo e qualquer processo de consciência.

Seja do reconhecimento das nossas sombras ou vibrações mais baixas. Seja do reconhecimento da nossa luz ou das vibrações mais altas.
Por isso nos tornamos agressivos quando nos apontam uma sombra.
e resistimos envergonhadamente quando nos mostram a nossa luz.

O grande processo de auto-conhecimento começa então com a simples pergunta:

– Quem sou eu?

Não quem os outros dizem que sou ou acham que eu deveria ser, mas simplesmente e conscientemente, quem EU SINTO que sou. Quem eu tenho consciência de ser, de todas as parte que mostro e não mostro ao mundo.
Ou seja, que consciência já tenho das minhas sombras e dos meus potenciais (luz).

Só depois de consciente esta resposta, validada pelas várias energias que nos rodeiam, podemos então escolher:

– Quem eu quero ser?

Será então este ajuste emocional e vibracional da energia interior que irá mudar as energias exteriores.
A nossa energia cria a nossa realidade. De nada nos serve lutarmos contra a realidade sem a noção de que ela é co-criada por nós.
Tanto o que ela espelha de melhor como o que espelha de pior.

Nesta visão da realidade excluem-se todos os conceitos de:
Sorte, Azar, Vitmização, Culpa, Julgamento, “se…”, “quando…”, castigo, “mau karma”

Ficam então 3 perguntas que se assim o permitires, poderão ser o principio de um novo padrão e de uma nova qualidade de vida;

“Quem és tu?”

“Quem é que queres ser?”

“O que estás a fazer para subir a tua vibração?”

Abraços
Vera Luz

(texto original aqui)

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 2.189 outros seguidores